To Meet x to know: qual a diferença?

Hi! Você tem uns minutinhos aí?

Então neste post de hoje você vai aprender comigo a diferença entre os verbos to meet e to know! Está tudo muito bem explicado neste quick tip do English Minutes no YouTube:

Mas, se você não tem tempo agora, ou não quer a explicação em vídeo, dê uma olhada nestas frases de exemplo e veja se você consegue descobrir o porquê de usarmos to meet ou to know em cada um dos casos:

— Nice to meet you!

— Prazer em conhecê-lo!

— I don’t know his brother.

— Eu não conheço o irmão dele!

— Mary will meet with her father at the restaurant tonight.

— Mary vai se encontrar com o pai no restaurante hoje à noite!

Will you know how to do that alone?

— Mary vai se encontrar com o pai no restaurante hoje à noite!

Descobriu? Bom… de qualquer forma, vamos às explicações!

O verbo to meet

O verbo to meet é usado quando a gente está tendo o primeiro contato com alguém, quando estamos conhecendo uma pessoa nova, ou seja, quando estamos sendo apresentados a essa pessoa.

Então podemos usar esta frase:

I met the President last year!

Eu conheci o Presidente no ano passado!

Mas não cabe neste tipo de situação o uso do verbo to know, o que significa que a frase abaixo está errada:

I knew the President last year!

Um outro uso para o verbo to meet são as situações em que você for encontrar alguém que você já conhece. Só que nesse caso, a gente normalmente diz to meet with ou to meet up with.

Então esta frase pode ser usada, pois está perfeitamente correta:

She’s meeting up with her college friends later.

Ela vai se encontrar com as amigas da faculdade mais tarde.

O verbo to know

Já o verbo to know é usado pra falar de conhecimentos ou habilidades que você ou uma outra pessoa possui.

Como nesta frase de exemplo:

I know a lot about computers.

Eu conheço bastante sobre computadores.

Ou como nesta outra outra frase:

Mark knows how to play the piano.

Mark sabe tocar piano.

E há também um outro uso para o verbo to know, que é empregado quando você já conhece uma pessoa, ou seja, já foi apresentado a ela em alguma ocasião anterior, mas vai precisar falar que já conhece de forma geral, em alguma situação corriqueira.

Como neste exemplo:

Do you know Janet?

Você conhece a Janet?

Mas você não deve usar o verbo to meet nesta situação, o que significa que a construção da frase abaixo está errada:

Do you meet Janet?

E então? Gostou deste quick tip?

I hope the next time I meet with you, you can tell me you know the difference between to meet and to know, ok? (Espero que da próxima vez que eu encontrar com você, você possa me dizer que sabe a diferença entre to meet e to know, ok?).

O que é to play possum?

Recentemente, eu estava assistindo ao episódio 15 da quinta temporada de Modern Family (título “Os Rivais“, original em inglês “The Feud“), e, durante um diálogo entre a Alex e a Haley, me deparei com o uso da expressão to play possum.

Veja só o trecho em que ela é usada:

Alex explica à irmã, Haley, que gambás são mestres em “playing possum” (Modern Family, S05E15)

Um pouco de contexto é importante: neste episódio, Alex está ajudando a irmã, Haley, a terminar de mudar suas coisas para o porão, onde fica seu novo quarto, quando as duas encontram um possum1.

Hello, possum! E ainda pegou o celular da Haley como refém! Poor girl!

Obviamente, as duas se assustam muito e se escondem no quarto de Haley. O gambá não vai embora por nada e quando Haley diz que ele pode estar dormindo, a Alex diz que não, que ele não está dormindo, mas que está “playing possum, the one thing that absolutely everyone knows possums do“.

Os possums, bem como outros animais selvagens, possuem a capacidade de se fingirem de mortos para escaparem de possíveis inimigos ou predadores naturais: os possums viram com a barriga para cima e exalam um cheiro ruim – exatamente o que fazem quando se sentem ameaçados normalmente.

Enfim, esta capacidade natural dos animais de se defenderem se chama tanatose: em inglês, o fenômeno possui alguns nomes diferentes: playing2 dead, feigning3 death, ou playing possum – de onde deriva a expressão idiomática central deste post:

To play possum é uma expressão idiomática que empresta seu significado desta defesa natural dos animais. Ela pode significar fingir-se de morto igual aos animais fazem, para escapar de uma situação de perigo ou de risco de vida:

The soldier played possum, fooling the sniper.

O soldado se fingiu de morto, enganando o atirador


We played possum, so the bear wouldn’t bother us.

Nos fingimos de mortos, para que o urso não nos incomodasse


E to play possum também pode significar fingir não prestar atenção, fingir estar dormindo, ou ainda, fingir não saber de nada, em situações em que queremos evitar nos envolver em um problema ou quando não queremos ser incomodados:

I always play possum so my daddy carries me and puts me in bed at night.

Eu sempre finjo que estou dormindo pra que meu papai me carregue e me coloque na cama de noite.


Este último exemplo tem o mesmo sentido da frase da Alex, do começo deste post: “playing possum, the one thing that absolutely everyone knows possums do“, que, em português, já com o significado explicado acima, é “fingindo-se de morto, a única coisa que absolutamente todo mundo sabe que os gambás fazem.

Bônus: um desafio em quadrinhos

Nesta tira de quadrinhos do site Mother Goose and Grimm, o senhor Percy Possum (Percy Gambá) está passando por um problema devido às habilidades naturais dos gambás, que se fingem de mortos como ninguém.

Você consegue entender o diálogo?

Do site “Mother Goose and Grimm“, publicado em 08 de janeiro de 2014

Abaixo, está a transcrição dos quadrinhos, em inglês. Comente quais são as palavras que você acha mais difícieis, ou que você ainda não conhecia!

Ralph: Percy Possum? What are you doing here in a bar?

Percy Possum: Trying to get my mind off my troubles4. No company will give me insurance5.

Ralph: No insurance?!! But you’re young, you’re healthy, you’ll be around for years6!

Percy Possum: Yeah. But they found out7 I’m always faking8 my own death.


Clique e expanda a tradução: veja se você acertou

Ralph: Percy Gambá? O que você está fazendo aqui, em um bar?

Percy Gambá: Estou tentando tirar meus problemas da cabeça. Nenhuma empresa me dará cobertura de seguro.

Ralph: Não vai te dar cobertura de seguro?!! Mas você é jovem, você é saudável, você ainda tem muitos anos pela frente!

Percy Gambá: Sim. Mas elas descobriram que eu estou sempre fingindo minha própria morte.

Vocabulário

E aqui estão as definições para as palavras menos comuns que foram mencionadas neste post:

1. Possum: substantivo, significa gambá. Para dizermos gambá em inglês, também podem ser usadas as palavras opossum, phalanger, ou skunk.

2 To play dead: expressão idiomática, significa fingir-se de morto.

3 To feign: verbo, significa afetar, fingir, simular ou aparentar. Ou seja, no contexto apresentando, feigning death significa simular a (própria) moirte, ou fingir-se de morto.

4 To get my mind off my troubles: expressão idiomática, significa tirar meus problemas da cabeça, ou afastar minha mente dos (meus) problemas.

5 Insurance: substantivo, significa seguro, no sentido de apólice para proteger um bem, como uma casa, um carro ou a vida de uma pessoa.

6 To be around for years: expressão idiomática, significa literalmente estar nas redondezas por anos. Usa-se para dizer que uma pessoa (ou algo) ainda vai durar muito, que tem muito tempo ainda pela frente na nossa companhia. Como diz o meu pai, “tem muito feijão pra comer ainda“. 😆

7 To find out: phrasal verb, significa descobrir, fazer uma descoberta.

8 To fake: verbo, significa falsificar ou inventar alguma coisa.


Hey my friend!

Me ajude a melhorar o site!

Diga nos comentários o que você mais gostou neste post, o que você menos gostou, e que sugestões você gostaria de ver publicadas aqui! Thank you!

Simple Present ou Present Simple: como formar frases?

Você já sabe, pelo meu post anterior aqui no English Minutes, quais as situações em que utilizamos o Simple Present, também chamado Present Simple, e que para começar a formar frases neste tempo verbal, a única coisa de que precisamos é saber a forma base do verbo, ou seja: seu infinitivo.

Vamos recordar o que é o infinitivo do verbo?

💡 Infinitivo do verbo

A forma infinitiva de um verbo, ou forma base do verbo, é aquela sem uma inflexão verbal que o ligue a um sujeito ou tempo verbal em particular. No inglês, o infinitivo do verbo é formado por TO + verbo, como em to eat (comer), to drink (beber) ou to study (estudar).


Agora que já recordamos esta informação importante, eu vou mostrar pra você como formar frases no Simple Present, ou no Present Simple, nas formas afirmativa, interrogativa e negativa.

Para isso, você pode assistir ao vídeo abaixo, que está no canal do English Minutes lá no YouTube:

Ou, se você estiver sem tempo para o vídeo agora, pode acompanhar as explicações a seguir. Vamos lá!

Forma afirmativa

Para formar frases na forma afirmativa do Simple Present, combine o sujeito (que pode ser um pronome, ou um substantivo, seja ele comum ou próprio) com o verbo em sua forma base, ou infinitivo, mas sem o TO. Vejamos este exemplo:

I study English.

No exemplo acima, I (eu) é o sujeito da frase, enquanto que o verbo to study (estudar) foi utilizado, saindo do infinitivo, quando abandonamos o to. English é o complemento da frase, necessário para complementar seu sentido. Então, temos I study English (eu estudo inglês).

Estes outros dois exemplos seguem a mesma lógica:

  • Ben and Mary study English too (Ben e Mary estudam inglês também).
  • Cathy and I like to play with them (Cathy e eu gostamos de jogar com eles).

Vejamos agora esta situação:

My friends like to play board games

Quando encadeamos dois verbos, ou seja, colocamos os dois verbos em sequência, acrescentamos o to entre um verbo e outro. Normalmente, este tipo de construção faz com que a tradução do to entre um verbo e outro seja “de“. Assim, no exemplo acima, temos My friends like to play board games (meus amigos gostam de jogar jogos de tabuleiro).

Forma afirmativa na terceira pessoa

Para formar frases na forma afirmativa do Simple Present para a terceira pessoa do singular (he, she e it), é preciso acrescentar as terminações -S, -ES ou -IES à forma base ou infinitivo do verbo.

💡Acrescentando -S ao final dos verbos

Felizmente, no caso da grande maioria dos verbos em inglês, a forma da terceira pessoa do singular será formada acrescentando a terminação -S. Existem vários exemplos: walk walks; needneeds; workworks, e assim por diante.

Vejamos alguns exemplos:

  • He reads a lot (Ele lê muito).
  • This store closes on Sundays (Esta loja fecha aos domingos).
  • She drives me crazy (Ela me deixa louco).

💡Acrescentando -ES ao final dos verbos

Para os verbos terminados em O, CH, SH, X e SS, a forma da terceira pessoa do singular será formada acrescentando a terminação -ES. Existem vários exemplos: gogoes; teachteaches; push pushes, e assim por diante.

Vejamos um exemplo para cada terminação:

  • She goes to school by bus (Ela vai para a escola de ônibus).
  • He teaches English in Brazil (Ele ensina inglês no Brasil).
  • Evelyn brushes her teeth before sleeping (Evelyn escova seus dentes antes de dormir).
  • Tom fixes breakfast for his wife on her birthday (Tom faz o café da manhã para sua esposa no aniversário dela).
  • My son always crosses the street with attention (Meu filho sempre atravessa a rua com atenção).

💡Acrescentando -IES ao final dos verbos

Para os verbos terminados em Y, onde a letra anterior for uma consoante, a forma da terceira pessoa do singular será formada tirando-se o Y e acrescentando -IES. Existem vários exemplos: cry → cries; try → tries; tidy→ tidies, e assim por diante.

Vejamos alguns exemplos:

  • Paul studies English (Paul estuda inglês).
  • He tries his best every time (Ele tenta dar o seu melhor todas as vezes).
  • He spies on his sister’s diary every time (Ela espia o diário da irmã dele toda vez).

Forma interrogativa

No inglês não dá pra fazer como fazemos no português e perguntar somente mudando a nossa entonação e acrescentando um ponto de interrogação. Ou seja, a construção de frase abaixo está errada:

❌ They work on Sunday?

Para fazer perguntas no simple present em inglês a gente vai precisar de um verbo auxiliar.

💡O verbo auxiliar do simple present é o DO.

Quando você usa o verbo auxiliar DO pra formar uma frase interrogativa, a palavra, em si, não tem significado nenhum, quer dizer, não tem tradução ao passarmos a frase para o português. No entanto,o verbo auxiliar DO é extremamente importante aqui, pois gramaticalmente ele ajuda a compor a forma interrogativa do tempo verbal Simple Present.

Para formar frases na forma interrogativa do Simple Present, basta acrescentar o DO antes do sujeito e da forma base, ou infinitivo do verbo — sem o TO — e pronto, sua pergunta estará formada. Vejamos os exemplos abaixo:

  • Do they work on Sundays? (Eles trabalham aos domingos?)
  • Do you like pizza? (Você gosta de pizza?)
  • Do Paul and Mary drive well? (O Paul e a Mary dirigem bem?)

Forma interrogativa na terceira pessoa

Para formar frases na forma interrogativa do Simple Present para a terceira pessoa do singular (he, she e it), é preciso alterar o auxiliar de DO para DOES.

Ao utilizar a forma DOES, o verbo volta para a forma base, ou infinitivo: ou seja, nada de acrescentar -S, -ES ou -IES no final, ok?

Estas duas construções de frases estão erradas:

Do she work there?
Does she works there?

Já esta construção de frase é a correta:

✔️ Does she work there?

Vejamos mais alguns exemplos corretos:

  • Does she live in New York? (Ela mora em Nova Iorque?)
  • Does he play soccer? (Ele joga futebol?)
  • Does Betty speak German? (A Betty fala alemão?)

Forma negativa

Para a formação de frases na forma negativa do Simple Present, comece com o sujeito (lembre-se: um pronome ou substantivo) e acrescente o verbo auxiliar DO combinado com a palavra NOT, para só então l adicionar o verbo em sua forma base, ou infinitivo.

E ao usar o verbo auxiliar DO com o NOT, você também pode usar a contração entre eles, ou seja, DON’T.

Vejamos abaixo alguns exemplos:

  • I do not like baseball (Eu não gosto de baseball).
  • I don’t like baseball (DO + NOT DON’T).
  • We do not travel all the time (Nós não viajamos o tempo todo).
  • They don’t cook at home (DO + NOT DON’T).

Forma negativa na terceira pessoa

Para formar frases na forma negativa do Simple Present para a terceira pessoa do singular (he, she e it), a exemplo do que acabamos de ver na forma interrogativa, também é necessário alterar o auxiliar de DO para DOES.

Mas, como você já deve imaginar, ao usar o verbo auxiliar DOES com o NOT, também é possível utilizar a contração que existe entre eles, que é DOESN’T.

Vejamos estes exemplos:

  • She does not like milk (Ela não gosta de leite).
  • He doesn’t want dessert today (Ele não quer sobremesa hoje).
  • The dog doesn’t eat cat food! (O cachorro não come comida de gato!)
  • My father does not speak Spanish (Meu pai não fala espanhol)

Gostou das dicas? Deixe um comentário abaixo!

Eu vejo vocês num próximo post.

Bye bye!

Simple Present ou Present Simple: quando se usa?

Simple Present ou Present Simple? A nomenclatura deste tempo verbal em relação à gramática vai variar dependendo da pessoa, do país e do método a partir do qual você aprende inglês. Eu, por exemplo, prefiro chamá-lo de Simple Present.

Mas, preferências pessoais à parte, este post tem a finalidade de te ensinar em que circunstâncias ou situações você deve usar este tempo verbal, então, sem maiores demoras, vamos ao que interessa.

E, na verdade, você vai perceber que o Simple Present é tão simples, mas tão simples, que tudo o que você vai precisar saber pra poder construir frases com ele é a forma base do verbo, ou seja, seu infinitivo, como to work, to study ou to learn.

Assista ao vídeo do English Minutes, que eu publiquei no YouTube:

Ou… se você já assistiu ao vídeo, ou está sem tempo pra isso agora, acompanhe o texto abaixo, onde eu forneço um resumo e exemplos adicionais aos que estão no vídeo.

Então, vamos lá!

Use o Simple Present para falar de fatos ou coisas em geral.

Para expressar fatos em geral, situações, emoções e desejos permanentes, o Simple Present se encaixa como uma luva.

Veja estes exemplos:

  • I like chocolate ice cream
    • Eu gosto de sorvete de chocolate (fato)
  • I hate to wait for people (emoção)
    • Eu odeio esperar pelas pessoas (emoção)
  • I want to have dinner with her tonight
    • Eu quero jantar com ela esta noite (desejo)
  • I work from 07:30 to 17:30
    • Eu trabalho das 07:30 às 17:30 (outro fato)

Use o Simple Present para dizer que algo ocorre o tempo todo, ou repetidamente.

Se você precisa falar de situações repetitivas, rotinas ou hábitos, também deve utilizar o Simple Present, incluindo, se necessário, advérbios e outros modificadores que indiquem frequência.

Veja estes exemplos:

  • I have my breakfast at 06:30 every day
    • Eu tomo café da manhã às 06:30 todos os dias (uma rotina diária)
  • She smokes 3 cigarettes a day
    • Ela fuma 3 cigarros por dia (um hábitomau, mas ainda assim, um hábito)
  • Brazilians usually like to play soccer
    • Os brasileiros geralmente gostam de jogar futebol (uma característica repetitiva entre os brasileiros)
  • Peter always arrives late
    • Peter sempre chega tarde (mais um hábito)
  • We usually go to the movies on Fridays
    • Nós geralmente vamos ao cinema às sextas-feiras (outra rotina).

Use o Simple Present para dizer que algo é verdade, em geral.

Por algo que é verdade, quero dizer tanto as verdades universais (que todos aceitam sem questionamento), quanto aquilo que é de conhecimento geral. Por exemplo:

  • The Earth goes round the Sun
    • A Terra gira ao redor do Sol (uma verdade universal)
  • Water boils at 100ºC
    • A água ferve a 100ºC (outra verdade universal)
  • Most stores in Quebec close at 9 pm on workdays
    • A maioria das lojas no Quebec fecham às 21:00 nos dias úteis (um fato de conhecimento geral)
  • Shortsighted people need glasses
    • As pessoas míopes precisam de óculos (outro fato de conhecimento geral)

Gostou das dicas? Deixe um comentário abaixo!

Eu vejo vocês num próximo post.

Bye bye!

Less ou fewer: quando uso qual?

Hi guys, how are you?

Vocês provavelmente já encontraram as palavras fewer e less ao ler, estudar, ou assistir a algum filme ou série em inglês.

Estas duas palavras são usadas para indicar um menor grau ou menor quantidade de alguma coisa, e ambas significam menos: ou seja, tanto uma quanto a outra é o oposto da palavra more, que em inglês significa mais.

Mas… você sabe quando deve usar fewer, e quando deve usar less?

Fewer

Use fewer quando você precisar indicar uma menor quantidade de substantivos contáveis.

Se é possível colocar um número antes de um substantivo, ou, melhor dizendo, é possível colocar um substantivo no plural, então ele é contável.

Assim, friends, cars, flowers, shoes e cats são todos exemplos de substantivos contáveis.

Vejamos estas duas frases:

❌ I have less friends than Mary.

A frase acima está errada: já que friends é um substantivo contável, não podemos usar a palavra less para indicar menos.

✅ I have fewer friends than Mary.

A frase acima está correta: já que friends é um substantivo contável, devemos usar a palavra fewer para indicar menos.

Less

Use less quando você precisar indicar uma menor quantidade de substantivos incontáveis.

Ao contrário dos substantivos anteriormente mencionados, os substantivos incontáveis não possuem plural.

Isso é porque eles normalmente são percebidos como sendo uma massa única, ou como algo homogêneo, para a qual não se consegue diferenciar o singular do plural.

Assim, money, salt, water, music e toast são todos exemplos de substantivos incontáveis.

Vejamos estas duas frases:

❌ It costs fewer money now.

A frase acima está errada: já que money é um substantivo incontável, percebido como uma quantia, não podemos usar a palavra fewer para indicar menos.

✅ It costs less money now.

A frase acima está correta: já que money é um substantivo incontável, devemos usar a palavra less para indicar menos.

Adicionando substantivos contáveis aos incontáveis

Embora os substantivos incontáveis representem algo único ou homogêneo, é perfeitamente possível usá-los em conjunto com os substantivos contáveis, para criar frases contáveis.

Este tipo de construção de frase altera o uso de fewer e de less. Vejamos esta frase:

✅ I want less cake.

A frase está correta: cake é um substantivo incontável neste contexto, e por isso usamos less cake (menos bolo).

Faríamos o mesmo para less ice cream (menos sorvete) ou less coffee (menos café).

Agora, esta outra frase:

✅ I want fewer pieces of cake.

O uso da palavra pieces nesta segunda frase também a torna correta: estamos contando pedaços ou fatias de bolo, e por isso usamos fewer pieces (menos pedaços).

Faríamos o mesmo para fewer glasses of water (menos copos d’água) ou fewer cups of tea (menos xícaras de chá).

Gostou das dicas? Deixe um comentário abaixo!

Eu vejo vocês num próximo post.

Bye bye!

The quick brown fox jumps over the lazy dog

Pare por um momento: você provavelmente já viu a frase que dá título à este post pelo menos uma vez: “The quick brown fox jumps over the lazy dog”, em português “A rápida raposa marrom pula por cima do cão preguiçoso”, é muito mais para nós brasileiros do que uma alusão ao célebre desenho da Disney, “O Cão e a Raposa”.

A frase é provavelmente o mais famoso pangram da língua inglesa.

Mas o que é pangram?

Apesar do nome diferente, o conceito de um pangram (pangrama ou pantograma em português) é muito simples: o alfabeto inglês, de A até Z, possui um total de 26 letras — exatamente como no português.

Pois bem: quando criamos uma frase que utilize todas as letras do alfabeto em sua composição, criamos um pangram.

Pangramas eficientes — também chamados pangramas perfeitos — usam todas as letras do alfabeto formando o menor número possível de palavras.

A rápida raposa marrom pula por cima do cão preguiçoso e se sente como se estivesse no sétimo céu da tipografia, juntamente com Hermann Zapf, o mais famoso artista da…

The quick brown fox jumps over the lazy dog”, embora não necessariamente o mais curto dos pangramas perfeitos (com 29 letras), foi adotado pela indústria tipográfica há muitas décadas, como um meio eficaz de demonstrar, em uma produção de texto, como ficaria a aparência das fontes sendo empregadas na escrita. É por isso, aliás, que se tornou o pangram mais famoso do mundo, sendo usado no Microsoft Word e em vários sites de busca e download de fontes.

Há pessoas que consideram a criação de pangramas um passatempo tão bom quanto palavras cruzadas: por isso, muitas frases deste tipo costumam surgir.

Sem contar as frases que apenas juntam palavras sem sentido, eis aqui alguns dos pangramas que eu encontrei, com as respectivas traduções:

  • Amazingly few discotheques provide jukeboxes (Surpreendentemente, poucas discotecas fornecem jukeboxes);
  • Sphinx of black quartz, judge my vow (Esfinge de quartzo preto, julgue meu voto);
  • Pack my box with five dozen liquor jugs (Arrume minha caixa com cinco dúzias de jarras de bebidas);
  • Jackdaws love my big sphinx of quartz (As gralhas amam minha grande esfinge de quartzo).

Em português, só para satisfazer a sua curiosidade, há diversos pangramas também. Quando se faz uma busca no Google, inclusive, aparece sempre este painel de quadrinhos como um exemplo:

Parece um pangrama… mas não é!

Só que tem um problema: A frase “Fidel exporta whisky, vinho, queijo, caju, manga e nabo” não possui a letra Z! Como um pangrama tem que conter todas as letras do alfabeto, então ela só parece ser um pangrama… mas não é!

Veja, por fim, alguns pangramas corretos em português:

  • Grave e cabisbaixo, o filho justo zelava pela querida mãe doente;
  • Marta foi à cozinha pois queria ver belo jogo de xícaras;
  • Hoje à noite, sem luz, decidi xeretar a quinta gaveta de vovô: achei lingüiça, pão e fubá;
  • Gazeta publica hoje breve anúncio de faxina na quermesse.

Espero que vocês tenham curtido essa curiosidade sobre os pangrams — são interessantes, né? Comenta aí a sua opinião!

Eu vejo vocês num próximo post…

Bye bye!

Nice try, George…

Hello guys, how are you?

Estava navegando nas minhas redes sociais hoje e não podia deixar de compartilhar com vocês um achado que classifico como sensacional. Trata-se de uma tirinha em quadrinhos do site Cyanide and Hapiness, conhecido na internet por ter um humor bem diferenciado e ácido.

Without further ado, esta é a tirinha da qual estou falando:

Funny, isn’t it? Este é um excelente exemplo de humor em inglês que só é possível devido ao múltiplo significado de alguns verbos no idioma, neste caso, especificamente, o verbo to lie.

Wait. Let’s understand that.

A história se passa em um cemitério. Sabemos disso porque no primeiro quadrinho há uma tombstone, (lápide). E na lápide está escrito Here lies George (Aqui jaz George): temos aí, então, o primeiro significado do verbo to lie na tira de quadrinhos, que é o verbo jazer, ou seja, estar sepultado, enterrado.

Ou seja, George está – aparentemente, pelo menos – morto. Só que ele está claramente pedindo ajuda! “Somebody help me! I’ve been buried alive! (Alguém me ajude! Eu fui enterrado vivo!).

Há uma pessoa passando ao lado da tombstone, e esta pessoa claramente ouve o pedido de socorro. No segundo quadrinho vemos que this person makes a suspicious face, ou seja, esta pessoa faz uma cara de desconfiado. E no terceiro quadrinho nos é apresentada uma visão mais próxima da tombstone, indicando que a pessoa foi olhá-la mais de perto.

E aqui, my friends, foi onde nosso amigo buried alive teve o maior azar: para sua infelicidade, o verbo to lie também significa mentir. Então a leitura de Here lies George também pode ser Aqui mente George.

Sabendo disso, a pessoa dá a questão por encerrada: cruza os braços e diz “Nice try, George!” (Bela tentativa, George), sendo nice try aqui utilizada no sentido de “achou que ia me enganar, hein?!”.

O verbo to lie

Como eu disse no início, esta piada só é possível graças a verbos como to lie, que possuem pelo menos dois significados.

O verbo to lie, possui, então, os dois significados da tira de quadrinhos:

  • mentir, mas vamos mudar o exemplo para That boy always lies to his parents (Aquele menino sempre mente para os pais dele);
  • jazer, exatamente como vimos acima: Here lies George (Aqui jaz George).

Mas também possui estes significados adicionais:

  • deitar – tá, jazer é meio que deitar para sempre, mas estou falando de deitar para relaxar ou dormir, como em Let me lie down to rest (Deixe-me deitar para descansar);
  • consistir, como em The solution lies in simplicity (A solução consiste na simplicidade);
  • situar-se em algum lugar, como em In front of you lies the most amazing places in town (Na sua frente estão os lugares mais impressionantes da cidade).

Moral da história? Ao ver uma tira de quadrinhos em inglês, procure perceber se conhece todos os significados possíveis das palavras: assim, você vai se divertir muito mais!

Paiva, Peiva, Piva…

Você conhece essa história? Acompanhe pelo vídeo, ou então através do texto abaixo, e não se esqueça de deixar seus comentários e se inscrever lá no YouTube, ok?

Um alfaiate brasileiro tinha acabado de se estabelecer lá em Londres. Levou máquina de costura, tesouras, moldes, manequins e depois de organizar tudo, abriu sua lojinha.

Ao lado da porta mandou colocarem uma placa bem bonita, onde dizia PAIVA TAILOR SHOP, porque Paiva era seu nome e TAILOR SHOP, ele, que não tinha lá um conhecimento muito bom de inglês, tinha pesquisado no dicionário e sabia que era ALFAIATARIA.

Paiva Tailor Shop

O primeiro cliente entrou na loja do Seu Paiva e já foi logo dizendo “Good Morning, Mister Peiva!“. E a partir daquele primeiro visitante, todo mundo que entrava na alfaiataria do Seu Paiva – sem exceção – chamava ele de Mister Peiva.

Nosso amigo alfaiate não entendeu muito bem o porquê daquilo acontecer, mas também não se deu por vencido não: depois de alguns dias chegou à conclusão de que os ingleses preferiam as coisas daquele jeito, e, se fosse isso, que fosse.

Encomendou uma nova placa, igualzinha àquela anterior, e pensou “Agora vai sair que nem o gosto do pessoal daqui”. Dias depois, chegou a nova placa, que dizia PEIVA TAILOR SHOP. E o Seu Paiva ficou todo feliz, porquê pensou que tinha resolvido o problema.

Peiva Tailor Shop

Coitado do Seu Paiva: o primeiro cliente a entrar depois que a nova placa foi colocada, foi logo cumprimentando “Good morning, Mister Piva“.

E o nosso amigo alfaiate, coitado, sentiu a cabeça dar nó. “Esse sujeito só pode ser analfabeto, coitado“, pensou. O segundo, o terceiro e o quarto clientes confirmaram a evidência: todos chamavam Seu Paiva de Piva.

Paciente e preocupado em não decepcionar a crescente clientela, ele deu o braço a torcer. Foi mais uma vez encomendar uma placa nova, pra substituir a que ele tinha colocado na porta da loja antes. E alguns dias depois, lá estava a nova placa: PIVA TAILOR SHOP.

Piva Tailor Shop

Ah, mas agora vai!” – pensou o Seu Paiva.

E é por isso que dizem que Deus escreve certo por linhas tortas. Meia hora depois que a placa nova estava pra fora da porta da loja, entrou o primeiro cliente. Bem educado, foi logo cumprimentando com “Good morning, Mister Paiva“.

Para espanto do Seu Paiva, o homem tinha pronunciado o nome dele certo! Mister Paiva! Nosso amigo alfaiate achou até que tinha ouvido mal! Mas tinha ouvido muito bem. A partir daquele dia, todos os que entraram na loja chamaram Seu Paiva de Mister Paiva.

O Seu Paiva, cujas habilidades linguísticas até hoje não são lá essas coisas, continuou sem entender aquele povo inglês. Devoto de São Sebastião, que é padroeiro dos alfaiates, achou era que tinha alcançado alguma graça e deixou por isso mesmo.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén